Conviver com ácaros, insetos, nematoides, patógenos e plantas infestantes em densidades populacionais que não causem perdas econômicas, é um dos principais desafios enfrentados pelos pequenos, médios e grandes agricultores. Caso o produtor não realize o correto manejo das pragas que atacam seu cultivo, os resultados certamente podem inviabilizar todo o seu esforço e investimentos.

Recentemente o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA), da ESALQ/USP, publicou resultados de uma pesquisa que demonstra que na ausência do controle da lagarta do cartucho, uma das principais pragas que atacam a cultura do milho, o agricultor arcaria com um prejuízo extra de cerca de R$ 7,5 bilhões, piorando substancialmente seus resultados e impactando negativamente o preço desta comodities no mercado interno e sua exportação. Cenário semelhante foi projetado para o bicudo do algodoeiro e para a ferrugem da soja, pragas que causam danos econômicos enormes nessas culturas. Sabendo-se que o prejuízo causado pelas pragas agrícolas chega anualmente em R$ 55 bilhões de perdas, as mesmas inferências deste estudo poderiam ser estendidas para outras inúmeras pragas em diversas culturas.

Ao mesmo tempo, o anseio da sociedade pelo consumo de alimentos comprovadamente seguros à saúde, que sejam produzidos de forma social e ambientalmente correta, impulsionam cada vez mais o produtor rural na busca por estratégias que atendam todos essas exigências e que garantam a remuneração dos seus investimentos.

O Manejo Integrado de Pragas (MIP), conceito que foi instituído há anos por acadêmicos e pesquisadores, preconiza que a integração de táticas de controle é o caminho viável para a implantação de estratégias que viabilizem a produção de alimentos de forma rentável e segura, para o agricultor, consumidores em geral e meio ambiente. O grande desafio é como colocar em prática o MIP em um cenário tão complexo como o da agricultura moderna. Em outras palavras, o manejo integrado de pragas é uma realidade alcançável?

Alguns ainda permanecem céticos afirmando conhecer muitos exemplos de agricultores que não obtiveram sucesso na implantação de programas de MIP. Por outro lado, pesquisas realizadas pela EMBRAPA indicaram que se a prática do manejo integrado fosse adotada em todas as lavouras de soja do país, cerca de 33 milhões de hectares, o benefício econômico poderia atingir um montante de R$ 4 bilhões, isso devido a economia com a aquisição e aplicação de defensivos agrícolas. Além desse, diversos modelos preveem o potencial de sucesso na adoção da integração de táticas de manejo de pragas.  No entanto, deve-se entender que o MIP é um processo bastante complexo que envolve além do conhecimento técnico e científico, necessários para a seleção da ferramenta mais adequada para cada situação e praga-alvo, o planejamento detalhado de todas as ações para sua implantação e adoção.

A implantação do MIP inicia-se com a identificação do problema, por isso é muito importante que os responsáveis por esta tarefa, quer sejam os agricultores, seus funcionários ou consultores, saibam identificar corretamente as principais pragas-chave e os seus inimigos naturais no cultivo. Para que acompanhamento da flutuação populacional seja efetivo, é necessário que o agricultor conheça o nível de dano econômico (NDE) e nível de controle (NC), indicadores que o auxiliarão na tomada de decisão no momento correto para a adoção de uma determinada estratégia de manejo de pragas. Tomar uma decisão na hora certa não é uma tarefa fácil, e o MIP auxilia o agricultor nesse momento. Por isso, a busca constante pelo conhecimento e a troca de experiências práticas e vivências com agricultores e técnicos é um caminho importante para a implantação efetiva do Manejo Integrado na Prática.

promip manejo integrado pragas controle biologico mip experience artigo aprendendo fazendo centro inovacoes mobile

Vista aérea do Centro de Inovações em Conchal – SP.

promip manejo integrado pragas controle biologico mip experience artigo aprendendo fazendo centro inovacoes mobile

Vista aérea do Centro de Inovações em Conchal – SP.

O MIP EXPERIENCE é uma iniciativa pioneira que tem como intuito proporcionar ao agricultor uma interação direta com práticas e tecnologias inovadoras voltadas para o manejo sustentável e economicamente viável em cultivo protegido e campo. Essa plataforma, inicialmente disponível online e em breve em um ambiente físico instalado no Centro de Inovações PROMIP, em Conchal-SP, reunirá um público que se dedica integralmente a produção sustentável. O objetivo é proporcionar a todos os interessados o acesso integral a programas de manejo de pragas em cultivo protegido e campo, através da transferência do conhecimento na prática. Possibilitará a formação de redes para intercâmbio de informações entre todos os agentes da cadeia de produção de hortaliças.

A experiência vivida pelo agricultor neste ambiente, possibilitará que o mesmo, entenda o MIP como uma oportunidade para o seu crescimento pessoal e melhoria de resultados. Aprender fazendo, essa é a filosofia principal do MIP EXPERIENCE, vitrine dedicada à promoção e divulgação de estratégias e práticas sustentáveis para programas de Manejo Integrado de Pragas em cultivos de hortaliças, flores, frutas e grandes culturas.

MIP EXPERIENCE 

NOTÍCIAS

EVENTOS

MIP EXPERIENCE 

NOTÍCIAS

EVENTOS

Deixe seu comentário

© 2018 Promip.