Exclusivo

A transferência do conhecimento é o primeiro passo para o controle biológico de pragas

Por maio 13, 2016 junho 11th, 2019 Sem Comentários

Um dos maiores problemas em relação ao uso do controle biológico de pragasé a falta de informação. Para alguns agricultores o assunto ainda é um tabu, justamente devido ao desconhecimento das práticas de Manejo Integrado de Pragas (MIP). “Alguns produtores olham com receio e desconfiança o fato de você soltar outro inseto na plantação, mesmo que ele seja benéfico”, diz a professora e bióloga Elisete Peixoto de Lima, da Universidade Salesiana de Lins. Segundo a professora, é muito importante alertar aos produtores que há alternativas, além das tradicionais. “É preciso apresentar essas outras possibilidades de controle biológico, tanto a produtores quanto alunos que estarão na área futuramente”, reitera.

Treinamento e Informação

Na última segunda-feira (9), juntamente com agricultores da Cooperativa da Média Noroeste de Pirajuí, técnicos da CATI e da empresa PROMIP, foram realizadas atividades agroecológicas, com ênfase no uso do controle biológico aplicado no município de Pirajuí/SP. A engenheira agrônoma Débora Yuassa, Consultora Técnica de Vendas da PROMIP, palestrou aos alunos e agricultores presentes. “Tivemos uma conversa com os alunos e agricultores sobre o controle biológico de pragas em hortaliças, explicando, por exemplo, a ação do predador em determinadas culturas”, explica Débora.

promip manejo integrado de pragas controle biologico praga

Treinamento realizado pela Engenheira Agrônoma Débora Yuassa, Consultora Técnica de Vendas da PROMIP, para produtores de hortaliças em Pirajuí/SP. Foto: PROMIP.

Atividade teve origem no projeto de iniciação científica, elaborado pela professora Elisete, contempla o estudo do controle biológico do ácaro rajado na cultura do pimentão em ambiente protegido. Débora conta que a ação teve como objetivo demonstrar aos agricultores presentes novas ferramentas para o combate de pragas. “A maioria dos produtores utilizam apenas o agroquímico, nós explicamos que, dentro de uma caixa de ferramenta há diversas possibilidades para serem usadas. Se você liberar o predador preventivamente, é possível mudar a cultura do controle de pragas”, afirma. Foto: PROMIP.

O problema do pimentão

Desde 2008, o pimentão é tido como um dos vilões da mesa brasileira, segundo relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O MIP é uma alternativa para mudar esse status. “O uso do controle biológico é um começo para, na verdade, amenizar o efeito do uso excessivo dos agroquímicos, não apenas no pimentão, mas também do produtor que está constantemente em contato com o produto”, afirma Luís Paulo, produtor da hortaliça na Fazenda Santa Luzia, onde estão sendo realizados testes com o uso de ácaros predadores para o combate do ácaro rajado.

promip manejo integrado de pragas controle biologico transferencia praga _

A parte prática do treinamento envolveu a visita a uma área de produção de pimentão onde a aplicação dos agentes biológicos foi demonstrada na prática. Foto: PROMIP.

A professora Elisete afirma que a maior dificuldade é de convencer que o custo-benefício da ação, em médio e longo prazo, é significativo. No entanto, os resultados alcançados, aliados aos treinamentos tem mudado o preconceito dos agricultores quanto ao método. “Após a palestra, vimos que há muitos produtores dispostos a utilizar o controle biológico, porém, alguns ainda ficam receosos, pois ainda não há resultados concretos em relação ao MIP em pimentões. Nós acadêmicos que sabemos das possibilidades devemos demonstrar que a ação será realmente benéfica”.

Em 25 de maio de 2014 uma matéria exibida no Globo Rural apresentou algumas soluções sustentáveis e eficazes para o manejo de pragas e doenças em pimentão, dentre estas o emprego dos ácaros predadores Neomip Max e Macromip Max para o controle do ácaro rajado e Stratiomip para o controle de fungus gnats, pragas-chave nesta cultura. Atualmente além dos predadores a PROMIP também disponibiliza as microvespas (Trichomip-P) para o controle de lagartas que atacam o pimentão.

Matéria exclusiva publicada pelo Portal de Manejo Integrado de Pragas (Promip) em 13 de maio de 2016.
Autor: Thiago Peres.

Deixe seu comentário

© 2018 Promip.