Categoria

Exclusivo

PROMIP realiza treinamentos em manejo integrado de pragas a produtores da região de Marília

Na última quinzena do mês de agosto, a PROMIP realizou uma série de treinamentos em Manejo Integrado de Pragas (MIP) a produtores de hortifrúti de Marília e região (cidades de Galia, Ocauçu, Fernão e Garça).

O curso faz parte de um programa que envolve segurança alimentar onde foram levantadas questões como uso adequado de insumos, controle de pragas e doenças e a redução do uso de defensivos na agricultura.

“Em cada um dos eventos que realizamos, procuramos capacitar o produtor nas técnicas de manejo integrado de pragas, monitoramento e, principalmente, apresentar as ferramentas de manejo biológico de pragas”, afirma o consultor técnico de vendas da PROMIP, Giovanni Macedo.

Palestras

As palestras foram ministradas em duas etapas: teórica e prática, no Barracão do Agronegócio e nas propriedades do Banco da Terra, respectivamente, a produtores da Sustengar, associação que fornece hortifrúti para merenda escolar.

O evento foi realizado em parceria com a CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), Escritório de Desenvolvimento Rural de Marília e apoio da Prefeitura de Garça, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente.

Produtores reunidos para capacitação em manejo biológico de pragas. A Sustengar fornece alimentos para merenda escolar na região.

O CTV da PROMIP, Giovanni Macedo, demonstra como é feito a liberação dos ácaros predadores para o manejo biológico de pragas.

Exemplo de empreendedorismo: Promip é citada no Congresso Brasileiro de Nematologia

PROMIP, representada pela nematologista Dra. Adriana Gabia, esteve presente no 35° Congresso Brasileiro de Nematologia que ocorreu de 24 a 29 julho de 2018, na cidade de Bento Gonçalves – RS.

O tema do congresso foi, Nematologia: problemas emergentes e estratégias de manejo. Além de palestras relacionadas ao tema, também foram abordados assuntos como novas moléculas e produtos biológicos no mercado, situação atual e prospecção dos serviços prestados por laboratórios de Nematologia no Brasil e empreendedorismo no Brasil e Exterior.

Em palestra ministrada pelo prof. Dr. Marcos Botton, sobre “Empreendedorismo no mundo científico”, a PROMIP e seu CEO, Dr. Marcelo Poletti, foram citados como exemplos no mundo empreendedor.

Público alvo

O evento teve como público alvo, representantes do setor agrícola, professores, pesquisadores de instituições públicas e privadas, além da participação de empresas voltadas ao desenvolvimento de produtos destinados ao manejo sustentável de fitonematoides em diferentes culturas.  Dessa forma, o evento proporcionou trocas de conhecimentos com professores, pesquisadores e demais membros envolvidos no setor.

Promip foi citada como exemplo de empresa empreendedora (Foto: Dra. Adriana Gábia)

Encontro entre nematologistas e membros da empresa Corteva AgriScience (Foto: Dra. Adriana Gábia)

Encontro entre produtores de grãos discute controle biológico para o manejo de pragas

Na próxima quinta-feira (7), acontece o 1º Eprogrãos – NP, Encontro de Produtores de Grãos do Noroeste Paulista, um encontro promovido para troca de experiências e conhecimentos a produtores, que será realizado pela Aprosoja SP (Associação dos Produtores de Soja de São Paulo). A PROMIP é parceira desta iniciativa.

A programação inclui palestras e debates sobre aumento de produtividade, qualidade do plantio e manejo de pragas com controle biológico.

O 1º Eprogrãos ocorrerá no Sitio Santa Maria, acesso pela rodovia Odilon Nogueira, KM 10 que liga Mesópolis a Paranapuã.

Em treinamento para certificação na PIMo, PROMIP aborda controle biológico de ácaros em morangueiro

No próximo dia 8 de junho a Embrapa realizará o Dia de Campo Manejo Integrado de Pragas (MIP), o evento conta com a PROMIP entre os parceiros.

O dia de campo será destinado a produtores que desejam certificar sua produção na PIMo (Produção Integrada de Morango), de acordo com as Normas Técnicas da PIMo, é proibido utilizar recursos humanos sem a devida capacitação para o controle de pragas.

A PROMIP abordará no treinamento o controle biológico de ácaros na cultura do morango. O evento também abordará temas como monitoramento e manejo das pragas do morangueiro e seus inimigos naturais com Maria Aparecida Zawadneak, da UFPR, observação de abelhas no campo e polinização como fator de produção na cultura do morango, com Katia Braga.

A partir das 15h será feita uma simulação de liberação de ácaros predadores, exemplificado o controle biológico de ácaro rajado, que tem sido considerado a praga-chave da cultura do morango no Estado de São Paulo.

O Dia de Campo acontece no Parque Duílio Maziero em Atibaia/SP, busca oferecer treinamento nas recomendações técnicas para a avaliação e o registro da incidência de pragas por meio de monitoramento.

Manejo biológico de pragas é destaque em treinamento dirigido a produtores de abacate em Socorro/SP

No último sábado, 19 de maio, aconteceu o Treinamento Técnico para Abacateiro de Alta Produtividade em Socorro/SP. O evento reuniu cerca de 60 produtores da região que discutiram temas como boas práticas e manejo biológico de pragas na produção de abacates.

Esta cultura tem ganho um espaço muito grande na produção agrícola brasileira e a região de Socorro tem uma condição climática adequada para as variedades que estão mais em alta no mercado.

“A produção comercial de abacates está ganhando um volume grande na exportação, o treinamento teve com intuito atentar o agricultor para o manejo adequado com controle biológico, visando sempre o ganho de qualidade do produto para o mercado exterior”, destaca da bióloga Dra. Lillian Silveira Pereira, Analista de Desenvolvimento de Novos Mercados da PROMIP que ministrou palestra sobre o manejo de pragas no evento.

Na região de Socorro, a maioria dos produtores são agricultores familiares de pequeno e médio porte. Segundo o sócio proprietário da Revenda Produtiva Agro, Thomas de Faria Tafner, que organizou o evento em parceria com a PROMIP, os agricultores já estão propensos a optar por um manejo mais limpo, utilizando o mínimo possível de defensivos, por esta razão, as palestras foram importantes para esclarecer as dúvidas dos produtores.

“Embora todos os participantes já tenham conhecimento da ferramenta de controle biológico, ela ainda é novidade, nós queremos incentivar o manejo biológico pois é muito melhor, é seguro e eficaz”, afirma.

A principal praga causadora de prejuízos nos abacateiros é a que pela falta de métodos seguros e viáveis de controle, continua sendo fator limitante para o cultivo do abacate no Brasil.

O destaque do evento foi potencial do uso do parasitóide Trichogramma pretiosum(TRICHOMIP P) para o controle da broca do abacate (Stenoma catenifer), praga-chave que tem causado danos severos nas áreas de produção comercial de abacates no Brasil

O TRICHOMIP P é um produto que contem microvespas que parasitam ovos de diversas espécies de mariposas, como a broca do abacate, ao fim do ciclo, em vez de nascer uma lagarta da praga, nasce uma nova vespinha em seu lugar, dando continuidade ao controle.

“As palestras foram esclarecedoras e agora temos que trabalhar em conjunto com o produtor, temos que ensinar, capacitá-lo para a utilizar essa tecnologia para que obtenha sucesso”, finaliza Tafner.

Palestra destaca o uso de Trichogramma pretiosum para o manejo da broca do abacate

Vários produtores da região participaram do evento em Socorro/SP

UFPR promoveu curso de Controle Biológico Aplicado em Curitiba

As pesquisas e registro de agentes de controle biológico tem apresentado crescimento expressivo nos últimos anos. Para acompanhar esta evolução a UFPR (Universidade Federal do Paraná) debateu os caminhos percorridos pelo controle biológico durante a semana do Ciclo de Atualização em Ciências Agrárias no curso “Controle Biológico de pragas: O Que Fizemos Até Aqui; Para Onde Devemos Ir?”.

O curso contou com a participação de profissionais atuantes no controle biológico, dentre eles, o Dr. Marcelo Poletti, Sócio Fundador e CEO da PROMIP, considerada a primeira biofabrica do Brasil. As palestras discutiram situação atual e perspectivas de evolução no controle biológico no mundo e no Brasil.

A Profa. Dra. Maria Aparecida Zawadneak pesquisadora na área de Entomologia Agrícola destaca o papel das universidades em preparar os profissionais para as demandas do mercado do controle biológico, segundo ela, o produtor precisa acreditar na ferramenta, mas é responsabilidade do Engenheiro Agrônomo garantir o sucesso desta estratégia na prática.

“Houve muita evolução em termos de oferta no controle biológico, os cursos de Agronomia nem sempre conseguem acompanhar esse crescimento, é importante em palestras, treinamentos e cursos, preparar o profissional para que a ferramenta seja aplicada de forma correta e garantir o seu sucesso”, afirma a Dra. Maria Aparecida.

A região metropolitana de Curitiba é uma área de muitas propriedades agrícolas que tem enfrentado problemas principalmente com a resistência de pragas, o Governo do Paraná, inclusive, tem atuado de forma a reduzir o uso de defensivos com forte fiscalização em todo o estado. Segundo o Engenheiro Agrônomo Reginaldo Fragoso, as ações para difusão do controle biológico têm sido desenvolvidas embarcando na necessidade dos próprios produtores em buscar soluções e alternativas eficazes para o controle de pragas.

“As porteiras estão abertas para mostrarmos que o controle biológico dá resultados, quem utiliza sabe e está satisfeito, os outros produtores quando ouvem dos resultados, também querem usar pois entendem o valor que a ferramenta vai agregar ao seu produto”, destaca.

Segundo ele, a receptividade do uso do controle biológico dentro de programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP) é muito positiva, o mercado está buscando produtos mais limpos e o produtor uma estratégia que solucione os problemas que ele enfrenta, assim, quando este compreende todos os benefícios que vem embarcados à ferramenta, a aceitação é maior.

“Estamos formatando junto ao SENAR-PR um curso de preparação com instrutores que serão multiplicadores da ferramenta dentro do estado, mostrando que ela é realmente efetiva e benéfica”, reitera Fragoso.

Nosso papel

A PROMIP considera como parte fundamental de seu trabalho investir na propagação do controle biológico aos agricultores em todas as regiões que atua. Nossos Consultores Técnicos de Vendas (CTVs) promovem Palestras, Treinamentos e Dias de Campo com o intuito de difundir a ferramenta e levar ao conhecimento dos produtores os benefícios de nossos produtos biológicos: tecnologias limpas, sustentáveis, eficazes e rentáveis.

O Dr. Marcelo Poletti, CEO da PROMIP, apresenta as tecnologias para o controle biológico desenvolvidas pela empresa durante a palestra ministrada na UFPR.

Dia de Campo realizado em Pilar do Sul demostra aos agricultores da região os benefícios do controle biológico aplicado

O controle biológico é uma estratégia adotada para o manejo de pragas em pequenas, médias e grandes culturas no Brasil e mundo. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Controle Biológico (ABCBio) nos últimos anos, o mercado de insumos biológicos atingiu um crescimento médio anual de 15%, tendência que deve ser mantida em 2018.

Para que o mercado continue crescendo de maneira sustentável é necessário investir na difusão do conhecimento, esforço que o time técnico da PROMIP tem realizado constantemente através de palestras e treinamentos específicos dirigidos aos agricultores e técnico ligados ao setor, em diferentes regiões agrícolas brasileiras.

Com esse intuito a PROMIP participou no último dia 27 de abril de um Dia de Campo em Pilar do Sul/SP, região produtora de hortaliças, frutas e cereais. “O Dia de Campo realizado foi importante para a demonstração de nossas tecnologias e soluções diretamente aos produtores, e para divulgar nossa linha de produtos biológicos, demonstrando os resultados de trabalhos desenvolvidos para o manejo de pragas nesta região”, afirma Giovanni Macedo, Consultor Técnico de Vendas da PROMIP. Giovanni ressalta que as palestras são muito importantes para difundir os conceitos do Manejo Integrado de Pragas (MIP), no qual os defensivos biológicos exercem ponto central.

“O MIP é ferramenta primordial para nós, é através dele que fazemos a inserção dos nossos produtos como parte das estratégias que os produtores devem aplicar em campo”, reforça.

O produtor de pimentão e tomate, Jauri Krone Jr, um dos sócios da propriedade que recebeu o evento, enxerga o Dia de Campo como um fator importante para todo o mercado já que os participantes podem comprovar a eficiência do controle biológico.

“Na teoria todo mundo conhece controle biológico, poder vir aqui e ver na prática os resultados é fundamental para a conscientização de todos, é bom para o nosso negócio e quanto mais produtores investir em produzir com qualidade, todos ganham”, afirma.

O evento

O Dia da Campo em Pilar do Sul reuniu cerca de 40 agricultores, produtores de diversas hortaliças tais como tomate e pimentão. Durante o ciclo de palestras, o Dr. Roberto Konno, Sócio-fundador e Gestor de Desenvolvimento Técnico de Agentes Biológicos da PROMIP, apresentou aos participantes soluções macrobiológicas (predadores e parasitoides), microbiológicas (fungos, vírus e bactérias) e monitoramento para o controle de ácaro rajado (Tetranychus urticae), mosca branca (Bemisia tabaci) e tripes (Frankliniella schultzei).

Foto: Dr. Roberto Konno fala sobre as soluções biológicas PROMIP para o manejo de Pragas em Cultivos de Hortaliças na região.

Após a palestra, os participantes foram até o campo onde acompanharam aplicações de produtos micro e macrobiológicos para o controle de mosca branca e ácaros. Em seguida os agricultores colocaram as “mãos na massa” e com o auxílio de uma lupa de aumento de bolso, puderam assistir o ataque dos agentes biológicos in loco.

Para o representante da MNS, empresa parceira da PROMIP no dia de campo, Ângelo Proença Pereira, o evento cumpriu muito bem seu propósito e as expectativas de todos, contribuindo com a difusão do conhecimento técnico e proporcionando um ambiente para realização de novos negócios.

“A forma como foram conduzidas as palestras, fez o produtor enxergar novas alternativas de manejo e se inteirar delas, tão importante quanto isto é proporcionar a expansão dos negócios das empresas que participam e nós vimos muito interesse dos produtores nos produtos e serviços apresentados”.

Após a palestra, agricultores visitam estufa de pimentão onde foi aplicada o fungo Beauveria bassiana.

Foto: O contato direto do agricultor com as novas tecnologias de controle biológico é fundamental para o sucesso em campo.

Agricultores reconhecem na prática os benefícios do controle biológico no cultivo do pimentão

O pimentão está entre as hortaliças mais plantadas no Brasil, ocupando uma área de aproximadamente 13 mil hectares entre plantio em campo aberto e estufas, com uma produção estimada em 350 mil toneladas de frutos.

No entanto, o uso intensivo de produtos químicos para o controle de pragas nesta cultura tem levado a uma série de problemas como a evolução da resistência de pragas as principais moléculas registradas para a cultura, além do excesso de resíduos químicos nos frutos comercializados “in natura”, apontamento que já foi feito por diversas vezes pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Para mudar esta situação, os produtores estão buscando métodos sustentáveis para manejo de pragas, aplicando estratégias de Manejo Integrado de Pragas (MIP), com ênfase no monitoramento de pragas, através do uso de armadilhas especificas, e o controle biológico aplicado integrado ao uso de produtos seletivos.

“É de fundamental importância conciliar o uso do controle biológico no MIP na cultura do pimentão. Para isso, penso ser necessário implementar a cultura do monitoramento constante das pragas, com estabelecimento de níveis de controle e dano econômico para permitir o uso de defensivos apenas quando necessário e baseado nos dados obtidos nesses monitoramentos”, afirma o Entomologista e Pesquisador da Embrapa Hortaliças (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Dr. Jorge Anderson Guimarães.

Segundo o Dr. Guimarães, tal ação evitaria o uso indiscriminado de agrotóxicos e evitaria a mortalidade de inimigos naturais que atuam na manutenção do equilíbrio biológico no agroecossistema.

“Nesse cenário, o controle biológico poderia ser usado para auxiliar na manutenção das pragas em equilíbrio e de forma inundativa ou massiva, quando estas saíssem do limiar de dano econômico”, disse.

Seletividade e o controle de pragas no pimentão

O MIP integra diferentes ferramentas para o manejo de pragas, dentre eles estão os defensivos e os agentes biológicos, que podem ser aplicados em conjunto, no entanto, é preciso atenção para o uso de defensivos seletivos.

A adoção de seletivos compatíveis com os inimigos naturais é fundamental para o sucesso do manejo de pragas em campo. Um produto seletivo é aquele que apresenta eficiência comprovada para o manejo da praga-alvo (≥ 80% de controle), e ao mesmo tempo, não afeta a sobrevivência e capacidade reprodutiva dos agentes biológicos em campo.

“É necessário intensificar os estudos na seletividade de defensivos para uso no MIP e avançar na resistência dos inimigos naturais aos inseticidas, a fim de maximizar sua utilização num cenário onde é necessário o uso das ferramentas químicas de manejo, como no pimentão”, diz Dr. Guimarães.

“Tudo isso, juntamente com um manejo cultural adequado, baseado no uso das Boas Práticas Agrícolas (BPAs) tem grande potencial para proporcionar um manejo eficiente e sustentável de pragas na cultura do pimentão no Brasil”, reitera o pesquisador.

Controle biológico no pimentão

Na fazenda de Eliton Krone, em Pilar do Sul/SP, região metropolitana de Sorocaba, havia uma grande epidemia de mosca-branca (Bemisia tabaci) e tripes (Frankliniella schultzei e Thrips palmii). Em fevereiro iniciou o manejo com controle biológico, utilizando o fungo entomopatológico Beauveria bassiana e o ácaro predador Stratiolaelaps scimitus (Stratiomip), ambos fabricados e comercializados pela PROMIP. Em pouco tempo os resultados mostraram-se favoráveis para o controle de diversas pragas.

“Tenho controlado bem a mosca-branca sem produto químico, apenas com a Beauveria e o tripes com o Stratiomip, aliando também o monitoramento. Em pouco tempo, percebi a planta e o fruto mais bonito, me surpreendeu” afirma.

Segundo Krone, outra vantagem é a economia gerada devido à redução no uso defensivos agrícolas. Dados da Embrapa afirmam que um MIP bem estruturado pode reduzir o custo de defensivos agrícolas em até 30 dólares por hectare.

“Antes usava só defensivos químicos, com o qual o gasto era maior e não conseguíamos controlar a praga, agora estamos conseguindo, economizando dinheiro com menos pulverizações e produzindo um produto de mais qualidade”, disse.

Esta é também a opinião de Eduardo Amaro de São Miguel Arcanjo, cidade há 30km de Pilar do Sul, produtor de pimentão em estufa.

Eduardo utilizou pela primeira vez o Stratiomip para controle de tripes e costumava usar agroquímicos, 2 a 3 vezes. Hoje o agricultor afirma que reduziu para apenas uma aplicação por semana.

“Há algum tempo ouço falar do controle biológico, passei a utilizar e estou satisfeito com a economia e com o controle da praga, se fosse com o químico ficaria o dobro mais caro. Às vezes eu nem preciso fazer aplicação de defensivos” disse.

Além da economia, a melhora no fruto fez de Eduardo um entusiasta do controle biológico.

“Alguns produtores têm receio de utilizar (o controle biológico), mas eu afirmo que é bom pois eu usei e comprovei, se continuar dessa forma vou economizar bastante. Em outras culturas que planto na minha área eu ainda tenho usado defensivo, mas pretendo utilizar apenas biológicos daqui para frente”, finaliza.

Em pouco tempo, os agentes biológicos controlaram diversas pragas em sua plantação em Pilar do Sul/SP – Eliton Krone 

Eduardo Amaro, de São Miguel Arcanjo sobre o controle biológico: “eu usei e comprovei”

Encontro técnico discute controle biológico em viveiro de produção de mudas de citros

Trabalhando sempre para difundir as estratégias de controle biológico aplicado em programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP), a equipe técnica da PROMIPrealizou no dia 27 de março uma palestra para produtores de mudas de citros da Vivecitrus (Organização Paulista de Viveiros de Mudas Cítricas) em Araraquara/SP.

A produção de citros é muito importante na região, com grandes produtores e indústrias citrícolas, e como em todas as culturas, os viveiros de citros também enfrentam problemas com a incidência de pragas, principalmente as pragas de solo devido a umidade do ambiente.

Segundo o presidente da Vivecitrus, Alexandre Chichinelli Junior, as tecnologias em controle biológico apresentados durante a palestra foi uma agradável surpresa aos produtores que ainda tem pouco conhecimento sobre a ferramenta.

“Na maioria dos casos nós utilizamos defensivos para o manejo, a apresentação de novas ferramentas para o controle das pragas nos deixou muito satisfeitos, foi uma palestra muito esclarecedora para nós e muitos de nossos associados estão interessadíssimos em receber uma visita técnica em suas propriedades”, afirma Chichinelli.

A Vivecitros e seus associados trabalham com a finalidade de estabelecer metodologias e padrões de qualidade de produção de mudas, segurança do produtor de citros e para a geração de pomares sadios. Para Chichinelli, o controle biológico pode atender contribuir e atender essas expectativas.

“Sem dúvidas o controle biológico oferece um ganho significativo de qualidade no ambiente por diminuir a carga de defensivos e melhoria da planta, a utilização dessa ferramenta é o caminho e nós temos que aderir o mais rápido possível”, afirma.

Manejo de Pragas no Citros

São diversas pragas que atacam os viveiros, na apresentação técnica realizada pela Dra. Lillian Silveira Pereira, analista de desenvolvimento de mercado da PROMIP, foram apresentadas ferramentas para o controle do fungus gnats (Bradysia matogrossensis) e as armadilhas para o monitoramento de outras pragas.

O produto biológico Stratiomip, que contém o ácaro predador Stratiolaelaps scimitus, controla diversas pragas de solo e sua eficiência em fungus gnats já foi comprovada cientificamente em diversos países, incluindo o Brasil. A mosca oviposita junto ao substrato de produção. Após a eclosão as larvas permanecem próximo ao sistema radicular causando danos direto na raiz abrindo portas para a entrada de doenças.

A PROMIP também oferece armadilhas adesivas amarelas para o monitoramento de insetos-pragas. A cor amarela atrai a praga que fica presa na armadilha, possibilitando ao produtor detectar quais pragas estão presentes na cultura, para assim, tomar atitudes assertivas de controle.

O engenheiro agrônomo e consultor técnico de vendas da PROMIP, Alexandre Sicchieri, um dos organizadores da reunião com os viveiristas destacou a importância de levar ao conhecimento dos produtores as tecnologias que oferecemos para o manejo sustentável de pragas.

“A maioria deles já ouviram falar sobre o controle biológico, mas tinham muitas dúvidas sobre sua ação na prática. Este é um caminho sem volta pois ele é eficaz que contribui muito para as culturas e agora, com a visão deles ampliada, com certeza vão passar a acreditar muito mais na ferramenta”, finaliza.

Viveirista acompanham palestra realizada pela PROMIP. Da esquerda para a direita: o Guilherme Campos (Fazenda Concorde), Alexandre Chichinelli (presidente da Vivecitrus), Evandro Fortes (Fieel Citros), Carlos Bonin (JF Citrus) e Rafael Oliveira (Krauss Citrus)

Ácaros predadores têm eficiência comprovada para manejo biológico de pragas em Londrina/PR

A região de Londrina/PR produz cerca de 315 toneladas de morango por ano, segundo o Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, o clima seco ajuda na produção do morango, já que a produção na região é toda irrigada.

Porém, o clima seco também é propício para aparecimento do ácaro rajado (Tetranychus urticae), aumento sua incidência na cultura, ainda de acordo com a Emater, em 2014 houve relatos de produtores que perderam toda sua produção devido ao ataque incontrolável praga.

“O ácaro rajado é uma praga voraz, se não controlado, ele pode reduzir a produção do fruto em até 80% e quando em altas densidades, tem poder, inclusive, para abreviar o ciclo de cultivo do morangueiro” explica a bióloga e doutora em Tecnologia da Produção Agrícola, Dra. Lillian Pereira, analista de desenvolvimento de mercado da PROMIP.

O produtor Ailton Luiz Carneiro, há mais de 30 anos produz morango na cidade de Londrina, Ailton relata ter sofrido muito com o ataque do ácaro rajado.

“Nós plantávamos o morango, cuidava, mas quando chegava a época da colheita, o ácaro atacava toda a plantação, pulverizava acaricida, vários produtos e nada dava certo”.

Após todas as dificuldades para controlar a praga, Ailton passou a procurar outros métodos mais eficientes, foi assim que chegou no controle biológico, técnica que utiliza meios naturais, notadamente outros organismos vivos, criada para diminuir a população de organismos considerados pragas.

A PROMIP, considerada a primeira biofabrica do Brasil, oferece soluções tecnológicas para o Manejo Integrado de Pragas, utilizando ácaros predadores de combate e manejo sustentável de pragas. Os ácaros predadores N. californicus (Neomip Max), P. macropilis (Macromip Max) comercializados pela PROMIP têm eficiência comprovada contra o ácaro rajado, conforme relata Ailton.

“Há cinco anos, desde que comecei a utilizar o Neomip Max, não utilizo mais acaricida nos meus morangos. Eu resolvi o meu problema de ácaro rajado”, afirma.

Ailton Luiz Carneiro: “com o ácaro predador da PROMIP eu resolvi meu problema de ácaro rajado”

© 2018 Promip.