x
 INSTITUCIONAL
 PRODUTOS
 SERVIÇOS
 EXCLUSIVO
 ARTIGOS
 IMPRENSA
 AGRICULTURA
 MIP
 +55 19 99910-1858
x
NEOMIP MAX
MACROMIP MAX
STRATIOMIP
TRICHOMIP-P
TRICHOMIP-G
Eficácia e Praticabilidade Agronômica
Estudos de Resíduos Químicos
MIP
Seletividade (Organismos Não Alvo)
Menu E-Commerce Busca
 
 

Você está em: Imprensa

 
 
 
 
2018-03-07
Broca-do-café: saiba como fazer o monitoramento correto da praga
 
 

Hypothenemus hampei (Broca-do-café). Foto: SFAgro/Uol

Agora é época de monitorar a broca-do-café. Segundo as informações divulgadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a praga tem se destacado como uma das principais para a cafeicultura nacional nas últimas safras. De acordo com a entidade, o Manejo Integrado de Pragas (MIP) tem se mostrado eficiente, econômico e sustentável no controle dessa praga. “O monitoramento é parte importante do manejo, lembre-se de manter atualizadas as informações de todos os talhões da propriedade”, recomendou a CNA.

Quando monitorar a lavoura?

De acordo com a CNA, o ideal é 80 a 90 dias após a principal florada, no período de trânsito da praga.

Qual a frequência de monitoramento?

A CNA recomenda o monitoramento mensal da praga. Porém, segundo a entidade, em períodos de alta infestação, o monitoramento deverá ocorrer quinzenalmente.

Como monitorar?

O monitoramento pode ser feito por meio da contagem de frutos ou utilizando armadilhas. Confira as orientações da CNA abaixo.

Contagem de frutos

Para realizar o monitoramento por meio da contagem de frutos, é preciso seguir os seguintes passos:

1 – Selecione 20 plantas por hectare, em “zigue-zague”;

2 – Colete uma amostra de 100 frutos no terço médio de cada planta;

3 – Conte os grãos brocados e não brocados e calcule o percentual de infestação;

Armadilhas

Para o monitoramento utilizando armadilhas, o produtor deve seguir os passos:

1 – Utilizar uma armadilha por hectare com cairomônio;

2 – Recomenda-se a avaliação das armadilhas a cada 15 dias, para a contagem dos insetos adultos ou troca da substância (cairomônio). No caso de alta infestação, a contagem dos insetos deve ser feita com periodicidade maior;

3 – Contar o número de insetos adultos em cada armadilha;

4 – Calcular a média do número de insetos por armadilha de cada talhão. O controle será feito quando, após o monitoramento, for identificada infestação próxima ao nível de controle.


Fonte: SFAgro/Uol

 
 
 
voltar para home
 
Broca-do-café: saiba como fazer o monitoramento correto da praga
2018-03-07

Hypothenemus hampei (Broca-do-café). Foto: SFAgro/Uol

Agora é época de monitorar a broca-do-café. Segundo as informações divulgadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a praga tem se destacado como uma das principais para a cafeicultura nacional nas últimas safras. De acordo com a entidade, o Manejo Integrado de Pragas (MIP) tem se mostrado eficiente, econômico e sustentável no controle dessa praga. “O monitoramento é parte importante do manejo, lembre-se de manter atualizadas as informações de todos os talhões da propriedade”, recomendou a CNA.

Quando monitorar a lavoura?

De acordo com a CNA, o ideal é 80 a 90 dias após a principal florada, no período de trânsito da praga.

Qual a frequência de monitoramento?

A CNA recomenda o monitoramento mensal da praga. Porém, segundo a entidade, em períodos de alta infestação, o monitoramento deverá ocorrer quinzenalmente.

Como monitorar?

O monitoramento pode ser feito por meio da contagem de frutos ou utilizando armadilhas. Confira as orientações da CNA abaixo.

Contagem de frutos

Para realizar o monitoramento por meio da contagem de frutos, é preciso seguir os seguintes passos:

1 – Selecione 20 plantas por hectare, em “zigue-zague”;

2 – Colete uma amostra de 100 frutos no terço médio de cada planta;

3 – Conte os grãos brocados e não brocados e calcule o percentual de infestação;

Armadilhas

Para o monitoramento utilizando armadilhas, o produtor deve seguir os passos:

1 – Utilizar uma armadilha por hectare com cairomônio;

2 – Recomenda-se a avaliação das armadilhas a cada 15 dias, para a contagem dos insetos adultos ou troca da substância (cairomônio). No caso de alta infestação, a contagem dos insetos deve ser feita com periodicidade maior;

3 – Contar o número de insetos adultos em cada armadilha;

4 – Calcular a média do número de insetos por armadilha de cada talhão. O controle será feito quando, após o monitoramento, for identificada infestação próxima ao nível de controle.


Fonte: SFAgro/Uol

 
 
voltar

 
© 2018 PROMIP. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias
 
10 anos de PROMIP
FICOU INTERESSADO EM NOSSAS SOLUÇÕES?
FALE COM A PROMIP
Nome: E-mail: Mensagem:
Linkedin Facebook Instagram Youtube
Voltar
© 2018 PROMIP.
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias