x
 INSTITUCIONAL
 PRODUTOS
 SERVIÇOS
 EXCLUSIVO
 ARTIGOS
 IMPRENSA
 AGRICULTURA
 MIP
 +55 19 99910-1858
x
NEOMIP MAX
MACROMIP MAX
STRATIOMIP
TRICHOMIP-P
TRICHOMIP-G
Eficácia e Praticabilidade Agronômica
Estudos de Resíduos Químicos
MIP
Seletividade (Organismos Não Alvo)
Menu E-Commerce Busca
 
 

Você está em: Exclusivo

 
 
 
 
2017-05-22
Produtores de Pilar do Sul e região adotam o Monitoramento e Controle Biológico da Traça do Tomateiro com Sucesso
 
 

A traça-do-tomateiro, Tuta absoluta, é considerada uma das principais pragas em diversas regiões produtoras de tomate. Esse inseto ataca toda a planta em qualquer estádio de desenvolvimento, fazendo galerias nas folhas, ramos e principalmente nas gemas apicais, onde destroem brotações novas, além dos frutos, que são depreciados para a comercialização. Em situações de alta infestação o ataque da traça-do-tomateiro pode levar a planta a morte, prejudicando drasticamente a produção. 

O acompanhamento da ocorrência desta praga, desde o início da produção do tomate, é essencial para o seu manejo. Para isso, o uso de armadilhas contendo feromônio sexual da traça é imprescindível, sendo esse o primeiro passo para a implantação com sucesso de programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP) nesta cultura.


Armadilha PROMIP utilizada para o monitoramento e captura da traça-do-tomateiro.

Após a detecção da ocorrência das primeiras mariposas, a liberação da microvespa Trichogramma pretiosum (Trichomip-P) é uma forma sustentável e eficiente para o manejo da traça-do-tomateiro. Esse inimigo natural ataca os ovos desta praga, reduzindo a sua população desde o início da infestação em campo.

Os adultos de Trichogramma pretiosum (Trichomip-P) são pequenos, medindo de 0,5 a 1,0 mm de comprimento. A coloração é amarelo-castanho e o abdômen é escuro, com olhos são avermelhados. As antenas são curtas. Têm cerdas longas que afinam na extremidade. Localiza os ovos do hospedeiro no campo e deposita neles seus ovos. A fêmea pode colocar um ou mais ovos dentro de um só ovo do hospedeiro. Quando termina a fase de ovo, as larvas se alimentam do conteúdo do ovo do hospedeiro, depois entram em seu último estágio de desenvolvimento (pupa). Ao concluir a fase de pupa, os adultos fazem um buraco no ovo do hospedeiro e saem. Os ovos parasitados assumem coloração escura. Cada fêmea pode colocar de 50 a 100 ovos. Fêmeas acasaladas podem ter descendentes machos ou fêmeas, já as não acasaladas, geram apenas machos. Levam de 7 a 10 dias de ovo a adulto e, como adultos, vivem mais dez dias, em média.

Em Pilar do Sul-SP e região, a parceria entre a PROMIP e a MNS, tem levado até o produtor uma tecnologia de manejo que se estende desde o monitoramento até a liberação do Trichomip-P (inimigo natural da traça). Este trabalho faz parte do programa Colheita Segura, cujo objetivo é assegurar uma colheita com segurança, através do repasse aos produtores com as boas práticas agrícolas (BPA) visando um manejo consciente para a cultura, sempre priorizando o uso de produtos biológicos, como o Trichomip-P, ou quando necessário o uso de insumos seletivos, que tenham obrigatoriamente registro para a cultura em produção, atrelado sempre com técnicas que visam um controle eficiente em campo, com custo baixo e mínima contaminação ambiental. 


Produtores de tomate da região de Pilar do Sul-SP atendidos pela PROMIP e MNS.

O produto biológico Trichomip-P é composto pelas microvespas Trichogramma pretiosum que parasitam os ovos depositados pela fêmea da traça do tomateiro e assim há uma diminuição no número de larvas eclodidas, resultando em um menor índice de galerias nas folhas. Consulte-nos e comece a utilizar esse agente de controle em sua produção de tomates e outras hortaliças hoje mesmo.

 

 
 
 
voltar para home
 
Produtores de Pilar do Sul e região adotam o Monitoramento e Controle Biológico da Traça do Tomateiro com Sucesso
2017-05-22

A traça-do-tomateiro, Tuta absoluta, é considerada uma das principais pragas em diversas regiões produtoras de tomate. Esse inseto ataca toda a planta em qualquer estádio de desenvolvimento, fazendo galerias nas folhas, ramos e principalmente nas gemas apicais, onde destroem brotações novas, além dos frutos, que são depreciados para a comercialização. Em situações de alta infestação o ataque da traça-do-tomateiro pode levar a planta a morte, prejudicando drasticamente a produção. 

O acompanhamento da ocorrência desta praga, desde o início da produção do tomate, é essencial para o seu manejo. Para isso, o uso de armadilhas contendo feromônio sexual da traça é imprescindível, sendo esse o primeiro passo para a implantação com sucesso de programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP) nesta cultura.


Armadilha PROMIP utilizada para o monitoramento e captura da traça-do-tomateiro.

Após a detecção da ocorrência das primeiras mariposas, a liberação da microvespa Trichogramma pretiosum (Trichomip-P) é uma forma sustentável e eficiente para o manejo da traça-do-tomateiro. Esse inimigo natural ataca os ovos desta praga, reduzindo a sua população desde o início da infestação em campo.

Os adultos de Trichogramma pretiosum (Trichomip-P) são pequenos, medindo de 0,5 a 1,0 mm de comprimento. A coloração é amarelo-castanho e o abdômen é escuro, com olhos são avermelhados. As antenas são curtas. Têm cerdas longas que afinam na extremidade. Localiza os ovos do hospedeiro no campo e deposita neles seus ovos. A fêmea pode colocar um ou mais ovos dentro de um só ovo do hospedeiro. Quando termina a fase de ovo, as larvas se alimentam do conteúdo do ovo do hospedeiro, depois entram em seu último estágio de desenvolvimento (pupa). Ao concluir a fase de pupa, os adultos fazem um buraco no ovo do hospedeiro e saem. Os ovos parasitados assumem coloração escura. Cada fêmea pode colocar de 50 a 100 ovos. Fêmeas acasaladas podem ter descendentes machos ou fêmeas, já as não acasaladas, geram apenas machos. Levam de 7 a 10 dias de ovo a adulto e, como adultos, vivem mais dez dias, em média.

Em Pilar do Sul-SP e região, a parceria entre a PROMIP e a MNS, tem levado até o produtor uma tecnologia de manejo que se estende desde o monitoramento até a liberação do Trichomip-P (inimigo natural da traça). Este trabalho faz parte do programa Colheita Segura, cujo objetivo é assegurar uma colheita com segurança, através do repasse aos produtores com as boas práticas agrícolas (BPA) visando um manejo consciente para a cultura, sempre priorizando o uso de produtos biológicos, como o Trichomip-P, ou quando necessário o uso de insumos seletivos, que tenham obrigatoriamente registro para a cultura em produção, atrelado sempre com técnicas que visam um controle eficiente em campo, com custo baixo e mínima contaminação ambiental. 


Produtores de tomate da região de Pilar do Sul-SP atendidos pela PROMIP e MNS.

O produto biológico Trichomip-P é composto pelas microvespas Trichogramma pretiosum que parasitam os ovos depositados pela fêmea da traça do tomateiro e assim há uma diminuição no número de larvas eclodidas, resultando em um menor índice de galerias nas folhas. Consulte-nos e comece a utilizar esse agente de controle em sua produção de tomates e outras hortaliças hoje mesmo.

 

 
 
voltar

 
© 2017 PROMIP. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias
 
10 anos de PROMIP
FICOU INTERESSADO EM NOSSAS SOLUÇÕES?
FALE COM A PROMIP
Nome: E-mail: Mensagem:
Linkedin Facebook Instagram Youtube
Voltar
© 2017 PROMIP.
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias