x
 INSTITUCIONAL
 PRODUTOS
 SERVIÇOS
 EXCLUSIVO
 ARTIGOS
 IMPRENSA
 AGRICULTURA
 MIP
 +55 19 99910-1858
x
NEOMIP MAX
MACROMIP MAX
STRATIOMIP
TRICHOMIP-P
TRICHOMIP-G
Eficácia e Praticabilidade Agronômica
Estudos de Resíduos Químicos
MIP
Seletividade (Organismos Não Alvo)
Menu E-Commerce Busca
 
 

Você está em: Exclusivo

 
 
 
 
2016-06-20
Inovação em Pesquisas Aplicadas ao MIP
 
 

Cada vez mais tecnologias surgem para facilitar e melhorar a vida no dia-a-dia. Na agricultura não é diferente. O que começou com trabalho totalmente manual e com auxilio da natureza e do tempo certo, tornou-se industrializado e, como em tudo, precisou evoluir, crescer, aumentar produção, lucro, etc. Como em toda evolução, há perdas e ganhos, mesmo com todo o avanço tecnológico e científico, pequenos insetos passaram a causar impactos negativos, prejudicando a produtividade significativamente, causando grandes perdas.

O
Manejo Integrado de Pragas (MIP) surgiu como uma proposta alternativa, proposta pela comunidade científica, ao emprego exclusivo de produtos químicos, que se usado de maneira indiscriminada pode causar contaminação nos alimentos e ainda contribuir para que as pragas se tornem mais resistentes.

Um dos grandes problemas ainda é a cultura dos agricultores e a falta de maior incentivo às boas práticas agrícolas que dificulta a implantação do MIP, segundo o Engenheiro Agrônomo MSc. Leonardo Kon, gerente de serviços da
PROMIP.  “Falta mais investimentos em pesquisas aplicadas que buscam conciliar o uso de agroquímicos com o controle biológico e, também, disseminar mais o conhecimento aos agricultores, com treinamento teórico e prático, nas principais estratégias de monitoramento”, diz.

Fundada em 2.006, a
PROMIP investe em pesquisas e desenvolvimento de tecnologias que visam aperfeiçoar as estratégias do MIP em campo. “Temos equipes de monitores de pragas instaladas nas principais regiões de produção agrícolas do Brasil realizando a análise da dinâmica populacional de pragas com o uso de armadilhas de feromônio e luminosas e o monitoramento semanal de lavouras comerciais. Tais informações são vitais para o MIP, uma vez que indicam o momento correto de entrar com alguma medida de controle e servem de base para o desenvolvimento de novas tecnologias para uso na agricultura”, diz Kon.

A PROMIP também desenvolve ensaios de campo para análise da eficiência e praticabilidade agronômica de produtos químicos e biológicos em diferentes regiões do Brasil. Os ensaios são contratados pelas principais multinacionais e tem como objetivo conhecer melhor a ação do produto sobre diferentes pragas e culturas. “Somos reconhecidos como a empresa que consegue desenvolver ensaios diferenciados. Temos uma equipe técnica que garante qualidade em todos os processos da pesquisa, da construção dos protocolos de pesquisa junto com o cliente, no planejamento e instalação de ensaios de campo e laboratório até a apresentação dos resultados e redação do relatório final”, reitera Kon.

 

Diferencial e qualidade

A biofábrica da PROMIP possibilita a oferta de insetos-praga e de inimigos naturais tanto para a instalação dos ensaios na própria empresa, quanto para ofertar aos seus parceiros e clientes. “Parte dos organismos-alvo produzidos nós, são destinados ao desenvolvimento de serviços prestados pela própria empresa. Isso gera um dinamismo muito grande, uma vez as espécies estão prontamente disponíveis ao desenvolvimento dos trabalhos. Isso permite resultados mais confiáveis e entrega dos resultados num menor prazo de tempo”, afirma o diretor de produção da PROMIP, Dr. Roberto Hiroyuki Konno.

A linha de organismos-lavo fornecidos pela empresa é composta por 15 espécies que atacam diversas culturas como: milho, soja, algodão, cana, dentre outras. Entre as principais estão Spodoptera frugiperda, Spodoptera cosmioides, Spodoptera eridania, Helicoverpa armigera, Helicoverpa zea , Chrysodeixis includens, Anticarsia gemmatalis, Diabrotica speciosa, Elasmopalpus lignosellus. “Esses organismos-alvo são utilizados principalmente como insumos para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas à eficácia e praticabilidade agronômica, estudos com organismos geneticamente modificados e manejo da resistência de pragas a táticas de controle”, explica Konno.

Laboratório de produção de insetos, atividade que garante à PROMIP diferencial tecnológico na prestação de serviços de pesquisas aplicadas voltadas ao MIP. Foto: PROMIP­­­

A PROMIP trabalha sempre em busca de inovação e possui diversos certificados como Certificado de Biossegurança (CQB) junto a CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), Certificado de Boas práticas de Laboratório (BPL) do INMETRO, além de certificados oferecidos MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e do SISBIO (Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade), que permitem a condução de ensaios e pesquisas aplicadas.

“Recentemente inauguramos nosso laboratório de fitopatologia. Iniciamos a condução de bioensaios com fungicidas com o intuito de monitorar a resistência a diferentes patógenos como a ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) e a mancha alvo (Corynespora cassiicola). Também estamos desenvolvendo testes exploratórios para a análise de sinergismo ou antagonismo de novos fungicidas formulados. Em breve faremos a comercialização de inóculos de diferentes patógenos”, conta Kon.
 

Incentivos ao MIP

A PROMIP possui corpo técnico e científico qualificado para dar suporte a programas de MIP em diferentes culturas, cerca de 30% de seus colaboradores possuem mestrado, doutorado e pós-doutorado nas mais renomadas universidades do país.

A manutenção de criações de diferentes pragas-alvo nos laboratórios de entomologia da empresa pode auxiliar a implantação de programas de MIP no Brasil. “Os organismos-alvos são necessários para a determinação do nível de dano econômico, são também utilizados nas avaliações da eficiência praticabilidade agronômica de produtos químicos e biológicos. O manejo integrado de pragas é fundamentado na utilização de técnicas de controle de pragas, de modo integrado, com o objetivo de manter a população da praga abaixo do nível de dano econômico, dentro desse conceito, a criação de organismos-alvo tem uma importância grande para o sucesso do MIP”, comenta Konno.

De acordo com o Dr. Marcelo Poletti, CEO da PROMIP, a produção e manutenção em larga escala de diversas espécies de pragas-alvo possibilita à empresa a realização de estudos em condições de laboratório, casa de vegetação e campo em qualquer época do ano, independente da época ocorrência natural do inseto. “Esse é um grande diferencial da PROMIP, que investe permanentemente na geração de inovação em produtos e serviços voltados ao MIP. Selecionamos nossos parceiros e clientes atendendo exclusivamente àqueles que tem como propósito o desenvolvimento de soluções sustentáveis e compatíveis com os valores da nossa empresa”, finaliza Poletti.

 


Matéria exclusiva publicada pelo Portal Promip em 20 de junho de 2016.

 

 
 
 
voltar para home
 
Inovação em Pesquisas Aplicadas ao MIP
2016-06-20

Cada vez mais tecnologias surgem para facilitar e melhorar a vida no dia-a-dia. Na agricultura não é diferente. O que começou com trabalho totalmente manual e com auxilio da natureza e do tempo certo, tornou-se industrializado e, como em tudo, precisou evoluir, crescer, aumentar produção, lucro, etc. Como em toda evolução, há perdas e ganhos, mesmo com todo o avanço tecnológico e científico, pequenos insetos passaram a causar impactos negativos, prejudicando a produtividade significativamente, causando grandes perdas.

O
Manejo Integrado de Pragas (MIP) surgiu como uma proposta alternativa, proposta pela comunidade científica, ao emprego exclusivo de produtos químicos, que se usado de maneira indiscriminada pode causar contaminação nos alimentos e ainda contribuir para que as pragas se tornem mais resistentes.

Um dos grandes problemas ainda é a cultura dos agricultores e a falta de maior incentivo às boas práticas agrícolas que dificulta a implantação do MIP, segundo o Engenheiro Agrônomo MSc. Leonardo Kon, gerente de serviços da
PROMIP.  “Falta mais investimentos em pesquisas aplicadas que buscam conciliar o uso de agroquímicos com o controle biológico e, também, disseminar mais o conhecimento aos agricultores, com treinamento teórico e prático, nas principais estratégias de monitoramento”, diz.

Fundada em 2.006, a
PROMIP investe em pesquisas e desenvolvimento de tecnologias que visam aperfeiçoar as estratégias do MIP em campo. “Temos equipes de monitores de pragas instaladas nas principais regiões de produção agrícolas do Brasil realizando a análise da dinâmica populacional de pragas com o uso de armadilhas de feromônio e luminosas e o monitoramento semanal de lavouras comerciais. Tais informações são vitais para o MIP, uma vez que indicam o momento correto de entrar com alguma medida de controle e servem de base para o desenvolvimento de novas tecnologias para uso na agricultura”, diz Kon.

A PROMIP também desenvolve ensaios de campo para análise da eficiência e praticabilidade agronômica de produtos químicos e biológicos em diferentes regiões do Brasil. Os ensaios são contratados pelas principais multinacionais e tem como objetivo conhecer melhor a ação do produto sobre diferentes pragas e culturas. “Somos reconhecidos como a empresa que consegue desenvolver ensaios diferenciados. Temos uma equipe técnica que garante qualidade em todos os processos da pesquisa, da construção dos protocolos de pesquisa junto com o cliente, no planejamento e instalação de ensaios de campo e laboratório até a apresentação dos resultados e redação do relatório final”, reitera Kon.

 

Diferencial e qualidade

A biofábrica da PROMIP possibilita a oferta de insetos-praga e de inimigos naturais tanto para a instalação dos ensaios na própria empresa, quanto para ofertar aos seus parceiros e clientes. “Parte dos organismos-alvo produzidos nós, são destinados ao desenvolvimento de serviços prestados pela própria empresa. Isso gera um dinamismo muito grande, uma vez as espécies estão prontamente disponíveis ao desenvolvimento dos trabalhos. Isso permite resultados mais confiáveis e entrega dos resultados num menor prazo de tempo”, afirma o diretor de produção da PROMIP, Dr. Roberto Hiroyuki Konno.

A linha de organismos-lavo fornecidos pela empresa é composta por 15 espécies que atacam diversas culturas como: milho, soja, algodão, cana, dentre outras. Entre as principais estão Spodoptera frugiperda, Spodoptera cosmioides, Spodoptera eridania, Helicoverpa armigera, Helicoverpa zea , Chrysodeixis includens, Anticarsia gemmatalis, Diabrotica speciosa, Elasmopalpus lignosellus. “Esses organismos-alvo são utilizados principalmente como insumos para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas à eficácia e praticabilidade agronômica, estudos com organismos geneticamente modificados e manejo da resistência de pragas a táticas de controle”, explica Konno.

Laboratório de produção de insetos, atividade que garante à PROMIP diferencial tecnológico na prestação de serviços de pesquisas aplicadas voltadas ao MIP. Foto: PROMIP­­­

A PROMIP trabalha sempre em busca de inovação e possui diversos certificados como Certificado de Biossegurança (CQB) junto a CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), Certificado de Boas práticas de Laboratório (BPL) do INMETRO, além de certificados oferecidos MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e do SISBIO (Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade), que permitem a condução de ensaios e pesquisas aplicadas.

“Recentemente inauguramos nosso laboratório de fitopatologia. Iniciamos a condução de bioensaios com fungicidas com o intuito de monitorar a resistência a diferentes patógenos como a ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) e a mancha alvo (Corynespora cassiicola). Também estamos desenvolvendo testes exploratórios para a análise de sinergismo ou antagonismo de novos fungicidas formulados. Em breve faremos a comercialização de inóculos de diferentes patógenos”, conta Kon.
 

Incentivos ao MIP

A PROMIP possui corpo técnico e científico qualificado para dar suporte a programas de MIP em diferentes culturas, cerca de 30% de seus colaboradores possuem mestrado, doutorado e pós-doutorado nas mais renomadas universidades do país.

A manutenção de criações de diferentes pragas-alvo nos laboratórios de entomologia da empresa pode auxiliar a implantação de programas de MIP no Brasil. “Os organismos-alvos são necessários para a determinação do nível de dano econômico, são também utilizados nas avaliações da eficiência praticabilidade agronômica de produtos químicos e biológicos. O manejo integrado de pragas é fundamentado na utilização de técnicas de controle de pragas, de modo integrado, com o objetivo de manter a população da praga abaixo do nível de dano econômico, dentro desse conceito, a criação de organismos-alvo tem uma importância grande para o sucesso do MIP”, comenta Konno.

De acordo com o Dr. Marcelo Poletti, CEO da PROMIP, a produção e manutenção em larga escala de diversas espécies de pragas-alvo possibilita à empresa a realização de estudos em condições de laboratório, casa de vegetação e campo em qualquer época do ano, independente da época ocorrência natural do inseto. “Esse é um grande diferencial da PROMIP, que investe permanentemente na geração de inovação em produtos e serviços voltados ao MIP. Selecionamos nossos parceiros e clientes atendendo exclusivamente àqueles que tem como propósito o desenvolvimento de soluções sustentáveis e compatíveis com os valores da nossa empresa”, finaliza Poletti.

 


Matéria exclusiva publicada pelo Portal Promip em 20 de junho de 2016.

 

 
 
voltar

 
© 2017 PROMIP. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias
 
10 anos de PROMIP
FICOU INTERESSADO EM NOSSAS SOLUÇÕES?
FALE COM A PROMIP
Nome: E-mail: Mensagem:
Linkedin Facebook Instagram Youtube
Voltar
© 2017 PROMIP.
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Sopa de Ideias